domingo, 23 de agosto de 2009

3 Etapas Sociológicas

1ª Etapa - Dos Empresários
O Tático Cultural, de seu lado prático, adora quando a provocação cultural se transforma em coisa séria e tira, do seu remanso, pessoas que ele jamais imaginaria que teriam suas mentes resgatadas da inércia intelectual e se ergueriam dos seus confortáveis escritórios e meteriam a mão no bolso para financiar ou desenvolver algum projeto de baixo alcance em prol da carente classe artística da cidade que toda vida pediu a eles e nunca conseguiu nada.
É bom vê-los pular na chapa quente, quando estão perdendo terreno para o déficit social e a criminalidade faminta por novas vítimas. “Nossos” empresários ressentem agora, e estão correndo, em busca do atraso e tentando devolver ao povo um pouco de atenção que sempre fora solicitada e nunca levada em conta. Dessa vez o tapa ta sendo pesado porque os maiores que nunca fizeram nada pela cidade, agora correm atrás dos certificados de qualidades que os obriga a investir no social e os pequenos que não têm condição se acotovelam nos bastidores para fazer algo que não estão ao seu alcance e investem em bobagem e mancham sua imagem.

2ª Etapa - Dos Políticos
“Nossos” políticos, agora, estão aprendendo a usar a cultura como arma estratégica para se perpetuar no poder e mascarar a falta de apoio cultural antes negado a quem o solicitava. A alegação seria que quando estiverem no poder (...), fariam pra eles e não para o povo.
Mas como já dizia o filósofo de rua; “antes tarde do que nunca”. E por falar em filósofo o que será diria La Boétie? Com seu Discurso da Servidão Voluntária? Leiam todos, a sabedoria dele é uso público e não privado... Leiam antes que tardiamente você possa se arrepender da servidão que estão armando para você.

3ª Etapa - Da Classe Artística
A classe artística todavia foi estigmatizada e por algum passe de mágica os “marginais malditos e saltimbancos” aparecem na cena protagonizando inclusão social e repetindo chavões políticos balbuciando palavras estranhas ao dicionário do interior mineiro, igual papagaio velho aprendendo a falar...
Não adianta querer jogar agora em time que está ganhando porque a vitória traz uma face voltada para o passado e outra para o futuro e nunca apresenta a você o presente, ou seja se vc. não olhar onde pisa poderá afundar e não ver futuro algum, só viverá de lembrança que não servirá pra nada porque você afundou no lamaçal que o patrão armou no presente.
É claro que tem papagaios se beneficiando da atual conjuntura, e não podia ser por menos, estão sendo beneficiados até na tampa. Olha o presente!! Volto a repetir com todas as palavras. Economizem na munição contra os desafortunados que não estão conseguindo nada por falta de apoio, porque esses podem conseguir alcançar as graças de Iavé e apresentar a você uma seara pronta para ser ceifada e você estaria de fora dessa colheita, aí será tarde.

Artistas quando se travestem de politiqueiros só dá “artemanha” e nada mais. Os artistas sérios querem é poética e não política que os envolva com escribas do planalto empurrando-os da cadeira para que caiam e depois com o braço quebrado caiam de novo, só que dessa vez da cama de atendimento do SUS. Isso porque não pagou em dia sua contribuição como autônomo ao INSS. Viu seu presente? Eles estão vindo para socorrê-lo. Quando você estiver com seus 78 anos vai lembrar-se das declarações serenas de Ruy Guerra dizendo: - “O projeto de (“U.S. Navy”) está parado e acho que vou deixar como herança”.(¹)

Demétrius Cotta


(¹) Em declaração ao Hoje em Dia, 23/08/2009 / Plural

Nenhum comentário: